Inversão de Valores - Geraldo Neves dos Reis
18/10/2019 10:29 em Novidades

 

A Inversão de Valores é um termo muito utilizado nos dias de hoje e que vem tirando a tranquilidade das pessoas de bem, pois diminui a distância ou a amplitude do que é considerado certo e do que é considerado errado, em termos de princípios sociais, morais ou religiosos.  Muitas das vezes ela é provocada por costumes milenares ou por comportamentos tradicionais ou irracionais da pessoa humana.

Se formos enumerar aqui o que verdadeiramente entendemos por inversão de valores, várias laudas eram insuficientes para tal, mas podermos citar algumas que consideramos de maior relevância.

A primeira delas e que vem causando uma revolta na sociedade, é o tratamento vip que os presidiários recebem em um país onde faltam assistência médica e medicamentos nos hospitais... Na maioria dos presídios os detentos recebem assistência médica, alimentação farta e balanceada, etc e inclusive alguns deles recebem o tão criticado auxílio reclusão cujo valor é superior ao salário mínimo vigente no país. Sou de opinião de que o presidiário deveria trabalhar para produzir e custear sua estadia na prisão e até mesmo ajudar as famílias das vítimas que ficaram sem seus chefes...

Outra que vem sendo bastante divulgado na mídia é o auxílio moradia para juízes e agentes políticos, os quais já percebem salários altíssimos, enquanto o assalariado se sacrifica e sofre amargamente para conseguir pagar seu aluguel ou vivem em condições desumanas. Isso sem falar nos desempregados e desabrigados...

Não menos difundida e relevante é a discrepância entre os salários dos professores comparados aos de outros funcionários públicos ou mesmo ao dos vereadores...  Em um país em que o educador não é valorizado não poderá jamais evoluir, almejar ou alcançar uma posição de primeiro mundo.  O saber é essencial para a evolução do homem e a evolução de um país está diretamente ligada à de seus habitantes.  Como disse o pensador Francis Bacon: “O homem é aquilo que sabe”. Portanto, um homem sem educação é nada...

Não posso deixar de citar aqui o problema da maioridade penal, onde o menor de 18 anos pode votar, mas não pode responder pelos seus delitos. Tem consciência para escolher seus governantes, mas não a tem para evitar entrar no mundo do crime.

Nas questões ecológicas também poderemos observar uma notória inversão de valores, onde as leis que punem alguns crimes ambientais são muito mais rígidas ou severas do que as que punem os crimes contra a pessoa humana.   Não que eu seja contra a punição severa contra os crimes ambientais, muito pelo contrário.  O que eu não concordo é o fato de se dar maior importância aos crimes ambientais quando comparados com os cometidos contra a pessoa humana... Sou a favor da punição severa para ambos, mas sem discriminações ou aberrações. Enquanto nossas leis forem elaboradas por pessoas engravatadas, sob o ar condicionado e com diversas mordomias, sem conhecerem a realidade nas camadas mais baixas de nossa pirâmide social, teremos e veremos várias injustiças, principalmente sociais.

Mas, em minha modesta opinião e sei que muitos não irão concordar coma ela, a maior inversão de valores que eu considero é com relação à proteção dos animais... Por que uns são muito protegidos e outros não?  Além de uma inversão de valores é uma discriminação desenfreada com algumas espécies ou gêneros de animais.  Neste quesito em geral, os cães, os gatos e os pássaros são privilegiados, o que acontece também com a grande maioria das espécies das aves.  Vemos com muita frequência denúncias e divulgações na mídia sobre maus-tratos aos cães, gatos e aves, especialmente os pássaros. Agora eu pergunto, e os bovinos, bubalinos, suínos, caprinos, galináceos (frangos, galinhas, perus, etc.)?  Quem já visitou um confinamento de gado deve ter notado e vai entender o que estou escrevendo.  No confinamento total, as reses são criadas em um pequeno espaço, quase a conta de seu corpo, permanecendo sempre de pé, sem fazer qualquer tipo de exercício para não comprometer o produto final, ou seja, a maciez de sua carne ao serem abatidas após alguns meses do referido confinamento. Quem já visitou uma granja de galinhas poedeiras já pode observar o minúsculo espaço, gaiola, de menos de meio metro quadrado, que elas passam toda sua vida e, quando não estão dando mais lucros, são abatidas para alimentação humana.  Em resumo, foi estipulado ou rotulado que, apenas poderão ser abatidos, ou não protegidos, os animais cujas carnes não são consumidas pela pessoa humana....  Quero deixar bem claro que não sou vegetariano, vegano ou qualquer outra coisa dessa natureza.   Adoro um bom churrasco, um frango com quiabo, um ovo frito e um bife bem passado.  O que eu não concordo na verdade são os exageros, extremismos, a hipocrisia as aberrações provocadas por essas inversões de valores.

Tem um escritor que afirmou o seguinte: “vivemos em um mudo em que o homem coloca seus filhos na creche, seus peais no asilo e sai pra passear com o cachorro...”

Só para ilustrar, vou contar uma cena real que presenciei, logicamente sem citar os nomes dos envolvidos. Um sobrinho meu pediu ao seu pai uma grana para ir a um cabeleireiro cortar seu cabelo, salvo engano não mais que 20 a 25 reais. Seu pai respondeu: - Vinte reais, pra que tudo isso se o barbeiro aqui do lado cobra apenas 10 reais? O filho adolescente tentou argumentar, mas foi em vão e teve que contentar-se com os míseros 10 reais... Passados não mais que duas horas, o pai colocou seu cachorro de estimação (sem muito pedigree) em seu carro e o trouxe a Caratinga para tosá-lo, pagando nada menos que 40 reais, além do combustível gasto no percurso...

Diz o ditado: “todo extremo é defeito, as virtudes estão nos meios” . Não podemos e não devemos compactuar com os exageros ou extremismos, pois eles podem perturbar a ordem ou o nosso comportamento, dificultando para que tenhamos uma vida tranquila e serena.

 

Geraldo Neves dos Reis

Engenheiro Agrônomo, ex-funcionário do Instituo Brasileiro do Café (IBC) e, com e extinção do mesmo em 1990, foi transferido para o Ministério da Agricultura onde trabalhou por mais de 20 anos como Fiscal Federal em Agropecuária, nascido em São Cândido, criado em Vargem Alegre. Aposentou-se no início de 2016, mas continua como trabalhado como autônomo prestando assessoria na cultura do café e em fábricas de bebidas e, nas horas vagas, atua como Diretor, Administrador e Radialista da Rádio Vargem Alegre FM e continua também fazendo o que sempre gostou, promovendo e participando de violadas onde, periodicamente, reúne amigos para executar e curtir a genuína  música brasileira, a música sertaneja raiz. Membro da Loja Maçônica Caratinga Livre e da Academia Maçônica de Letras do Leste de Minas (AMLM). Escritor, com dois livros já publicados e  o terceiro a caminho.

 

 

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!