Por que nossos políticos insistem em fazer o imoral? - Walber Gonçalves de Souza
11/12/2017 - 10h02 em Novidades

Fim de ano chegando e com ele começa o prolongado recesso parlamentar. Mas antes do apagar das luzes, geralmente sempre aparece alguma surpresa, na maioria das vezes desagradável, aprontada pelos nossos digníssimos e honrados representantes políticos.

                E todos elas acabam tendo por finalidade arrumar uma forma de engordar os holerites dos nobres homens que cuidam da polis. Não é raro um projeto propondo um aumento de salário, outro tentando estabelecer uma verba de gabinete e tantos outros com objetivos espúrios que se escondem nas famosas diárias.

                Claro que não estou discutindo aqui a legalidade de tais atos, pois quaisquer coisas podem se tornar legais desde que uma lei seja criada para tal finalidade. Posso citar, como formar de exemplificar, o uso de armas hoje ilegal, mas amanhã a história pode ser outra, basta a alteração no texto da lei.

                O que na verdade é de enojar está no fato dos nossos políticos insistirem em querer fazer sempre o imoral. Poucos e raros combatem em sentido contrário.

                Quando o Deputado Tiririca disse que “pior que está não fica”, na verdade ele estava mentindo para nós. Tanto é que está presente nas redes sociais um vídeo em que o mesmo se diz decepcionado com a política brasileira, chegando ao ponto de afirmar que o nosso país está fadado ao sistemático dilema da corrupção e do malfazejo. Segundo ele, nossos representantes não pensam no Brasil, mas somente vivem para satisfazerem seus próprios interesses, algo que não é novidade, mas uma pena!

                Há cidades brasileiras, talvez a esmagadora maioria delas, em que a população sofre com o caos gerado pela má forma com que as coisas públicas são administradas. Falta tudo, desde o básico até o mais complexo exame. Mas mesmo assim, vendo tudo acontecer ao seu redor, não há um processo de sensibilização com o sofrimento alheio. Pois nossos políticos insistem em angariar penduricalhos financeiros, tentando as mais variadas formas, como já ditas anteriormente. Um absurdo, uma tremenda falta de humanidade ou seria um descaso total para com as próprias finalidades, que seria zelar pelo bem comum da sociedade.

                Na esfera federal estamos presenciando o processo da Reforma Previdenciária. Que algo deveria ser feito, acredito que seria estupidez dizer o contrário. Mas da forma que está sendo realizada, é a forma correta? Justa para com a população brasileira? Honesta para com aqueles que deveriam ser os princípios republicanos? Mas mais uma vez presenciamos a forma imoral com a questão está sendo tratada.

                Por que nossos políticos insistem em fazer o imoral? Pelo mesmo motivo que insistimos em ver tudo acontecer e fingir que nada está acontecendo, sendo assim imoral também. Luther King dizia: “o que me incomoda não é o grito dos maus, mas sim o silêncio dos homens de bem”. Por isso ousemos gritar, a sair do silêncio que cultiva a imoralidade.

 

 

Walber Gonçalves de Souza é professor e escritor. 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!