Os políticos estão acabando com o Brasil - Walber Gonçalves de Souza
30/10/2017 - 13h32 em Novidades

 

                Viver sem política é algo impensável. É nítido a necessidade de um grupo de pessoas para gerir as coisas públicas, que dedicam alguns anos da sua vida para gerenciar os espaços públicos nas suas mais diversas formas e dimensões. Assim sendo, é preciso que pessoas com espírito público se dediquem à administração pública. A arte de governar para o bem comum não é uma questão de opção, é uma necessidade. Já diria o filósofo Aristóteles, o ser humano é um animal político.

                Mas o triste é que não é isso que estamos vendo acontecer no nosso país. Em todas as instâncias administrativas verifica-se justamente o contrário. Sabemos que seria injusto dizer que não há ninguém sério, comprometido, que honre realmente sua função eletiva. Mas estas pessoas são a minoria, não encontram espaço para atuar, e acabam não tendo o apoio da própria população que prefere o tapinha nas costas e serem enganadas pelos politiqueiros de sempre.

                O que de fato estamos presenciando é uma classe política que está saqueando as riquezas da nação através de atos corruptos, de favorecimento lícito e ilícito, de desmandos que favorecem e ampliam aqueles que se beneficiam das benesses do poder.

                Nossos políticos só pensam em si, muitos acabam se revelando verdadeiros larápios, lobos em pele de cordeiro. Demonstram não possuir espírito público, nem governam com um projeto de nação, mas sim com um projeto de usurpação das coisas públicas. Estão preocupados simplesmente em manter-se no poder, custe o que custar e enriquecer, independente se isto gere um quadro de morbidez social.

                Os políticos do Brasil, em sua grande maioria, são monstros, pessoas desumanas, que não se importam com o sofrimento alheio, pelo contrário se favorecem dele. São bandidos transfigurados de mocinhos, por isso ampliam leis dúbias que favorecem os seus desmandos. Continuam mantendo um país de miseráveis, de analfabetos, de criminosos, onde falta o básico para a população.

                Os exemplos que vêm do Congresso Nacional são os piores, nossos representantes vendem tudo: vendem a honra, vendem a consciência, vendem a sua própria dignidade, se é que eles têm ou se importam com isso, pelo visto não. Conseguem se comportar piores que marginais, pois tramam na calada da noite suas barbáries e seus crimes contra a nação.

                Nossos políticos, mesquinhos que são, estão acabando com o nosso país. Se eles são a cópia fiel do povo brasileiro, como defendem muitos, coitados daqueles que não se encaixam neste perfil, pois podem perder a esperança.

                Mas prefiro acreditar que não e manter a esperança, mesmo descrente. Parece um paradoxo, na verdade é, mas se há luz no fim do túnel, com estes políticos que aí estão não consigo enxergá-la. Ano que vem quem sabe as coisas começam a mudar!

 

 

Walber Gonçalves de Souza é professor e membro das Academias de Letras de Caratinga (ACL) e Teófilo Otoni (ALTO).

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!